Sustentabilidade no varejo se tornou uma pauta entre empresários do setor. Para especialistas de mercado trata-se de uma tendência. Já ecologistas e cientistas classificam o tema como urgência. Seja como for, entre varejistas de todo o mundo, um consenso vem se formando: sustentabilidade é uma questão estratégica

Estamos acostumados a ver os interesses do comércio em conflito com a preservação ecológica. Nos últimos anos, a situação mudou. Os consumidores mudaram. Uma nova geração começa a participar da roda do consumo, e sua regra impõe responsabilidade social, sobretudo, cuidado com o planeta. Quer vender para o consumidor do futuro? Assuma sua parte.  Os bons resultados nos próximos anos vão depender da sua pegada ecológica.

Mindset de sustentabilidade no varejo

Antes de tudo, esqueça o greenwashing, aquelas iniciativas ecológicas que visam, apenas, objetivos de marketing. Isso, aliás, pode resultar em efeitos reversos. O potencial da sustentabilidade no varejo só alcança o auge quando não se limita a ações superficiais. De fato, o conceito deve integrar o planejamento estratégico e, indo além, fazer parte dos valores da empresa, daquilo que norteia cada decisão.

A sustentabilidade no varejo é mais que uma onda a ser surfada. Trata-se de ter consciência da questão na sua maior verdade, ou seja, a preservação do planeta. Decerto, conquistar novos clientes tem que ser uma preocupação estratégica. A questão do varejo sustentável, no entanto, só terá efeito dentro da estratégia se entrar para a mentalidade da empresa. Quando o mindset sustentável for estabelecido, o empresário chegará a conclusões conscientes em todos os sentidos – meio-ambiente, expectativas dos clientes e saúde do negócio.

Obviedades da sustentabilidade no varejo

De modo geral, a indústria varejista se manteve tão alheia à questão ecológica que há incontáveis caminhos para trazer mais sustentabilidade para empresas do setor. Basta olhar para o checkout de qualquer loja, seja um supermercado, um armarinho de rua ou uma loja num shopping. Só nesse ponto, podemos optar por práticas mais sustentáveis em, no mínimo dois elementos: embalagens e cupons fiscais.

Muitas cidades brasileiras proibiram o uso de sacolas de plástico comum. Nesses lugares, os comerciantes oferecem embalagens de papel ou plástico reciclável. Alguns dão descontos a clientes que abrem mão delas, outros cobram daqueles que optam por utilizá-las. Tais posturas acabam incentivando consumidores a comprar sacolas resistentes expostas nas proximidades dos caixas. Os incentivos a atitudes sustentáveis tocam o cliente de forma ampla. Aqueles que já seguem este propósito, se identificam. Os demais são provocados a pensar no assunto e têm a oportunidade de reformular ideias.  

Em paralelo, uma prática que já se popularizou no varejo é a de perguntar se o cliente quer a segunda via do comprovante do cartão. Mas a entrega do cupom fiscal, ainda é um ato praticamente automático – embora desnecessário na maioria dos casos, já que há várias formas de envio por meios digitais.

Embalagens e cupons fiscais são elementos comuns a todas as lojas. De fato, quando olhamos o varejo de maneira segmentada, os desafios crescem, mas não se intimide. Por mais que a revisão de processos e implantação de novas práticas seja algo trabalhoso, o retorno é gratificante. Vale dizer que práticas sustentáveis também geram efeitos positivos no caixa

Varejo sustentável raiz

Atitudes simples como mudança de embalagens e redução no uso de papel, certamente, têm seu valor. No entanto, algumas das medidas que mais contribuem com a formação de uma identidade sustentável acontecem longe dos olhos dos consumidores. 

“Temos que pensar em toda a nossa cadeia de valor, se não colocarmos a sustentabilidade no coração de tudo o que fazemos, não vamos ser realmente sustentáveis. A gente quer ser o promotor da mudança”
Maya Colombani, Diretora de Inovação e Sustentabilidade da L’Oréal Brasil

Quando a gestão do negócio assume a sustentabilidade como valor, os reflexos atingem toda a equipe e, em consequência, a jornada do cliente. Assim que a mentalidade sustentável verdadeiramente se instala, o cuidado com o planeta se revela nas mais variadas formas e os momentos, da destinação do lixo à escolha de softwares.

Soluções como o Offerta, que traz os folhetos de promoções para a tela do celular, reduzem o consumo de papel de modo significativo. O mesmo ocorre com o Oppinar, que permite realizar pesquisas de opinião digitalmente, e com o Margem, que exibe, no smartphone, gráficos e listas de dados fundamentais para a gestão que, dessa forma, já não precisam ser impressos. 

Enfim, são muitos os caminhos para a sustentabilidade no varejo. Ações no campo da gestão, na infraestrutura, na interação com o cliente, em parcerias com fornecedores etc. Pode aguardar, vamos trazer dicas em outro post!