Indicadores de vendas avaliam o desempenho de acordo com o planejamento estratégico. Isto é, depois que o gestor define seus objetivos e traça uma estratégia para alcançá-los, ele precisa de parâmetros que indiquem se as vendas estão performando de acordo com o que o planejamento pontuou. Ao mesmo tempo, no caso de desempenho insatisfatório, os mesmos indicadores vão guiar medidas capazes de alinhar a rota.

A importância determinante dos indicadores de vendas para o varejo foi o que motivou a criação do Margem. Desenvolvido, desde o primeiro traço, com foco em ajudar o varejista a melhorar a performance de seu negócio, ele aposta nos KPIs (indicadores chave de performance) mais assertivos no que tange a vendas. Nesse sentido, além de uma área exclusivamente dedicada a eles, logo na tela inicial da ferramenta, o gestor tem acesso a cinco blocos de informações. O primeiro deles traz os KPIs mais usados no varejo:

ticket médio
quantidade de produtos por cupom
preço médio

Contudo, o Margem não pára por aí. Ele monitora a operação considerando três diretrizes – vendas, produtos e pessoas. Elas dão nome a três das cinco abas onde a ferramenta organiza os dados que coleta. Estes, por sua vez, formam um retrato preciso da empresa em um dado momento. Graças a alguns filtros, além de acompanhar os registros atualizados em tempo real, é possível acessar períodos específicos e consultar a evolução dos números ao longo dos dias, meses ou anos.

Ticket médio – a estrela dos indicadores de vendas

Um dos indicadores de vendas mais populares no varejo é o ticket médio. Para calculá-lo, o Margem divide as vendas líquidas pelo número de cupons registrados. Tal fórmula pode ser aplicada em diversos contextos. Por exemplo, se há dúvidas sobre as vantagens de abrir a loja aos domingos, pistas para a resposta podem estar neste KPI. No caso, basta comparar o ticket médio de domingos com o de outros dias da semana. Da mesma forma, na hora de avaliar os vendedores, este cálculo vai mostrar quanto cada um vende em comparação aos demais.  

Mesmo quando analisado da forma mais básica, este indicador é excelente para contribuir com a verificação do desempenho de sua operação dentro da estratégia proposta. Afinal, reflete questões que vão do mix de produtos ao atendimento

Quantidade de produtos por cupom

Saber a média de peças vendidas por atendimento ajuda em pontos essenciais na hora de alinhar as vendas com os objetivos do negócio. Seja visando o aumento dos lucros, a expansão da linha de produtos ou mesmo o perfil de vendedor a contratar, decisões diversas podem se apoiar neste KPI.

Seu cálculo é simples. Ele é o resultado da divisão da quantidade de produtos vendidos pela quantidade de cupons registrados. Assim como acontece com o ticket médio, ele se aplica a diversas situações. Por exemplo, se você quer saber qual de seus vendedores é mais hábil em convencer clientes a comprar, basta tirar a média de cada um da equipe. Do mesmo modo, se seu modelo de negócios tem um produto muito forte como carro chefe – uma livraria, por exemplo – analisar este KPI é importante na decisão sobre ampliar a linha de produtos.

Valor do preço médio

O valor do preço médio resulta da divisão do total de entradas provenientes de vendas pelo número de cupons registrados. Tal conhecimento é essencial, sobretudo, na compreensão do perfil econômico do público que a loja atinge. Assim, com base neste dado, a equipe de marketing, por exemplo, terá mais segurança no direcionamento de publicidade e definição de ofertas. Olhando por outro ângulo, se a empresa estiver avaliando fechar uma de suas unidades, o valor do preço médio de cada um dos PDVs também terá um peso considerável na decisão.

Talvez, o mais interessante a considerar neste indicador seja como o esforço de venda vem sendo aplicado. Isso porque, independente do custo de um produto, o empenho do vendedor para fechar negócio será, em suma, o mesmo. Ou seja, todas as etapas – da abordagem à entrega do pacote, passando pela conquista e convencimento – são seguidas, tanto na venda de um produto de R$ 50,00 como na de um de R$ 250,00. 

Dados fundamentais para os indicadores de vendas

Ainda no primeiro quadro da tela inicial, o Margem deixa à vista três dados fundamentais tanto para calcular como para analisar os indicadores de desempenho: quantidade de cupons, total de vendas e meta diária

Um lance de olhar para estes três números já permite ao gestor criar um quadro do que está acontecendo nas vendas, independente de análises e cruzamentos de dados. Esta comunicação imediata faz parte da idealização do Margem. A ideia é facilitar a rápida compreensão de como a operação está se processando em tempo real, independente do número de lojas

Neste post, em suma, nos concentramos apenas em uma parcela do que o Margem oferece. Considerando a amplitude do monitoramento que a ferramenta realiza, seria impossível abordar tudo em um só texto… Aos poucos, prometemos detalhar cada uma das possibilidades que o gestor pode explorar com nossa solução. Mas, você pode conversar com a gente e agendar uma visita ou videoconferência.

Vale, ainda, esclarecer que a MpontoM olha o negócio como um todo. Por isso, a fim de apoiar o gestor com informações fundamentais para contínua melhora na performance, também oferecemos ferramentas focadas na satisfação do cliente (Oppinar) e na comunicação entre equipes e gestores (Prazzo). Os dados que elas coletam constituem indicadores estratégicos para cada uma das áreas de foco.