A Black Friday se tornou uma das datas mais importantes para o comércio brasileiro. Abrindo o calendário das vendas de final de ano, ela renova o ânimo do setor, sobretudo em um período tão conturbado quanto o que vivemos desde março de 2020.

Dessa vez, tal sentimento é ancorado por estudos que indicam resultados ainda melhores que os de anos anteriores. Os dados se aliam ao otimismo de ver a vacinação trazendo segurança para as pessoas retornarem às compras presenciais. Assim, as expectativas para a Black Friday 2021 são altas, e a preparação para a data corre a todo vapor. Para te ajudar, temos algumas dicas, que vão complementar o que já falamos sobre a importância do planejamento.

Ofereça o desconto que você pode

Historicamente, o maior apelo da Black Friday é o preço. No entanto, isso não significa que você deva se sacrificar para fechar vendas. Por mais importante que seja a data, seu fluxo de caixa não pode ser prejudicado.

Sua composição de custos é única, assim como o alcance das negociações que você realiza com fornecedores. Por isso, comparar seus preços com os das grandes redes só funciona a título de referência. Ou seja, o que queremos dizer é que você não deve tentar bater a oferta da concorrência se isso significar prejuízo. Em poucas palavras, na hora de definir o desconto que vai oferecer num produto, respeite os custos que ele abarca

Definição de ofertas

O omnichannel pede uniformidade de ofertas, mas você pode criar promoções especiais em PDVs específicos. Assim, aproveita a Black Friday para adequar o estoque de cada uma das unidades ao perfil de frequentadores, conforme os dados que o Margem coleta. Com base nessa informação também é possível motivar hábitos de consumo a fim de melhorar a performance do negócio. Por exemplo, se um produto importante para sua estratégia tem baixa aceitação em uma loja em particular, oferecê-lo a um custo menor na Black Friday é uma oportunidade para estimular sua venda. Decerto, há espaço para os mais diversos tipos de promoção, inclusive upsell e cross-sell.

Loja física

Você espera que sua loja receba muitos clientes? Então esteja preparado. Em tempos de pandemia, isso significa mais que ter vários atendentes e segurança interna. Por exemplo, se uma fila se formar na porta de sua loja, algumas pessoas podem desistir de esperar. Por isso, você tem que garantir uma experiência positiva desde este ponto. Coloque-se no lugar de quem vai estar lá e pense em tudo o que faria você ir embora. Sol? Providencie um toldo. Sede? Ofereça água. Você pode criar, ainda, mecanismos para que a fila não se forme, como um sistema de senhas ou mensagens de texto. Nesse caso, pense em uma regra simples e clara que funcione para seu público, para a estrutura da loja e do local onde ela está. 

Black Friday no e-commerce

Apesar do otimismo que a vacinação traz em relação ao movimento em lojas físicas, a maior parte das compras da Black Friday devem ser fechadas no e-commerce. Uma pesquisa da Méliuz apurou que 56,7% das pessoas têm planos de comprar, exclusivamente, online. Além disso, 28,2% vão aderir consumo híbrido durante a promoção

Isso se traduz em alto tráfego nas plataformas digitais. Assegure-se de que seu site e aplicativo estejam preparados. Por via das dúvidas, crie soluções alternativas e mantenha a equipe de atendimento digital pronta para, se necessário, colocá-las em prática. E lembre-se: a Cyber Monday ocorre na segunda-feira seguinte à Black Friday, então as medidas adotadas precisam ser mantidas até lá.

Entregas na Black Friday

Tenha em mente que a Black Friday é focada em preço, mas você não precisa restringir suas ofertas a descontos no valor das mercadorias. Nas vendas a distância, o custo da entrega interfere muito na decisão de compra, e realizar esse serviço gratuitamente é um diferencial.

De preferência, elimine essa cobrança durante a promoção, contudo, se for inviável, se esforce para, pelo menos, reduzir o valor mínimo para entrega grátis. Tomando o e-commerce como exemplo, os ganhos em escala compensam. Não à toa, tantos sites oferecem frete grátis no período.

A rapidez da entrega também conta na conquista de compradores. Em uma data de alta demanda como essa, redobre os cuidados com os prazos, especialmente se você terceriza a logística. 

Oportunidade 

Mas, independente do que você esteja vendendo – e até da sua capacidade de conceder descontos – a Black Friday pode trazer muitos frutos.

Além do pico de vendas que costuma gerar, a data é um ótimo momento para a conquista de novos clientes. Nesse sentido, sua postura na maneira de conduzir a promoção é crucial para manter clientes-promotores e trazer detratores e neutros para um degrau acima.

Pós Black Friday

Sua maior preocupação no período da Black Friday deve ser garantir uma boa experiência para o cliente. Isso, aliás, também vale para o pós-Black Friday. Em momentos de vendas muito intensas, imprevistos acontecem, e é aí que você pode se destacar. A forma como você vai lidar com os pedidos que não chegaram, as peças com defeito etc. fará a diferença. Alguns dos problemas serão de sua responsabilidade, sem dúvida, mas você deve se deparar com outros, consequentes de deslizes de quem fez a compra. Esteja preparado para lidar com estas situações prontamente, sempre com empatia, transparência e buscando facilitar processos para o cliente. 

Já deixe agendada com sua equipe uma reunião para discutir os dados do Margem no período da Black Friday. Caso, ao longo da promoção, você decida fazer alterações com base nas informações da ferramenta, deixe tudo anotado para não esquecer de considerar os reflexos de tais mudanças. 

A fim de tirar o máximo proveito da data, use o Oppinar para fazer uma pesquisa de satisfação com os clientes. Procure ser sucinto e não tenha medo de explorar aquilo que pode ser um problema. As críticas dos clientes vão ensinar muito.

Se você ainda não usa as soluções da MpontoM, entre em contato para aproveitar as vantagens que elas vão trazer para suas vendas de final de ano.